Solicite seu orçamento rápido
Moto na Troca SimNão

A Evolução das Motos YAMAHA

YAMAHA é premiada por ser a número 1 para você!
15 de janeiro de 2019
Super Promoções de Fevereiro
13 de fevereiro de 2019

A EVOLUÇÃO DAS MOTOS YAMAHA

Este desafio que está fazendo muito sucesso na internet atualmente chamado #10yearschallenge fez com que nós da Ativa Motos Yamaha Joinville refletíssemos sobre como a Yamaha evoluiu no mercado das motocicletas nos últimos anos!

Todos os modelos Yamaha estão repaginados, mais modernos e pensando muito mais no conforto do Cliente, cuja felicidade é nosso maior objetivo!

Confira algumas das maiores evoluções dos modelos YAMAHA do Brasil!

1 – Lander 250

A Lander é uma motocicleta que começou a ser produzida no ano de 2006, manteve toda sua mecânica original até 2009, quando recebeu novos grafismos, novo catalisador e sensor de O², para atender a resolução que define limites para emissão de poluentes atmosféricos.

A Lander versão 2020 é uma moto quase toda novacheia de referências de outras motos da marca. O mais importante é que a Yamaha mexeu em pontos-chave. O farol em LED é o mesmo da Fazer 250 — que melhorou muito a iluminação à noite —, assim como o punho esquerdo, com o lampejador junto do seletor de farol alto e farol baixo.

O assento agora tem dois níveis, inspirado na Ténéré 250, a lanterna traseira em LED, o tanque com maior capacidade (13,6 litros), as suspensões com menor curso (220 mm na frente e 204 mm na traseira) permitindo maior controle na pilotagem em maior velocidade e os pneus Metzeler Tourance, além do para-lama junto ao pneu dianteiro. Outra mudança importante é o reforço na parte traseira do chassi, para garantir o transporte de bagagens sem problema. Da Lander antiga, a marca afirma ter mantido a robustez e agilidade, além da novidade do Freio ABS!

2 – Fazer 250

A Fazer 250 é uma motocicleta que veio para o mercado brasileiro no ano de 2005, voltada para o uso urbano, alimentada com um motor de 250 cilindradas de 4 tempos e injeção eletrônica. Foi eleita moto do ano pela Revista Duas Rodas em 2006 e 2007, recebeu sua segunda geração em 2018.  A Fazer 250 foi a primeira motocicleta nacional a adotar a injeção eletrônica como sistema de alimentação. Em 2005, a injeção eletrônica só estava disponível em alguns modelos de motos maiores importadas, sendo assim um modelo revolucionário para o seu segmento.

Para a Nova Geração o visual, suspensões e chassi são completamente novos e apenas o motor foi reaproveitado. Mesmo assim, ela passou por alterações na injeção eletrônica e no escapamento, que fez sua potência subir para 21,5 cavalos de potência, 0,6 cv a mais que a geração anterior.

Mas a principal aposta da Fazer 250 está nos freios ABS de série, algo que a Concorrente tem somente opcional. Em versão única, a moto da Yamaha vem com um preço intermediário com ABS, tornando o modelo um interessante custo/benefício. Uma nova aposta da marca é dar 4 anos de garantia para a Fazer 250, algo inédito no segmento, para manter sua marca de sempre trazer inovações!

3- YBR 125 e 150 Factor

Tendo inicialmente apenas o modelo 125cc, a Factor foi lançada no ano de 2000, com a sua antecessora YBR 125 e hoje seu modelo 150cc já é um dos mais completos do segmento pois  tem partida elétrica, freio a disco na dianteira e rodas de liga leve.

O segmento de veículos de entrada no Brasil é tão farto que, seja entre carros ou motos, as marcas têm apostado em mais uma opção de modelo – muitas vezes um derivado do outro. É o que a Yamaha acaba de providenciar com a nova Factor quando remodelada. Partindo da bem-sucedida Fazer 150, a marca dos diapasões criou uma moto mais simples e voltada para uso diário intenso, além de ser mais barata. A sua versão ED, que é a mais atual (com freio a disco dianteiro e rodas de liga-leve), a nova street ganhou as ruas como modelo mais vendido da Yamaha.

A posição de pilotagem é mais confortável por conta do guidão e da pedaleira menos recuados, enquanto o painel de instrumentos fica todo concentrado num visor digital. Que tem tudo o que é necessário: conta-giros, velocímetro, relógio, hodômetro total e parcial, luz ECO e o útil indicador de marcha engatada (que a Concorrente não tem). Outra coisa que Concorrente não oferece é o lampejador de farol alto, item de série na Factor. A pequena Yamaha também agrada mais pela posição da buzina, na parte de baixo do punho.

4- XTZ 150 Crosser

Sua antecessora, a XTZ 125 saiu de linha para dar lugar a Crosser 150 com muitas melhorias e repaginada, a trail Crosser (em português, “aquela que atravessa”), produto que estreou em 2014 e logo depois já foi oficializada como sucessora da XTZ 125, é fruto de três anos de projeto e ganhou nova versão no Salão Duas Rodas 2017, a “Z”.

A moto é ágil, leve, com uma pilotagem fácil, muito natural e nitidamente é projetada para responder com versatilidade a todos os tipos de terreno. As respostas do seu motor monocilíndrico de 150cc com injeção eletrônica flex e escalonamento curto do câmbio de cinco velocidades com engates “amanteigados” comprovam isso. É o mesmo propulsor que equipa Fazer e Factor 150, sem alterações, nem nas curvas de potência e torque, nem na relação de transmissão final. Possui também um belo painel de fácil leitura, com grande conta-giros de ponteiro na esquerda e display digital na direita, incluindo o útil indicador de marchas, com consumo médio de 40 km/l.

5- Neo

Começando a sua fabricação no ano de 2005, inicialmente com 115cc a Neo foi uma das motocicletas que mais mudou visualmente da Yamaha desde o seu lançamento.

Fabricada entre 2004 e 2012, a Yamaha Neo voltou ao mercado toda renovada. Conservando apenas o nome e o porte enxuto do saudoso modelo carburado, na época conhecido pelo design agressivo e as grandes rodas. Nacionalizada em Manaus, a Neo traz design esportivo e, melhor ainda, acompanha um novo motor injetado, com 125 cm³ e 9,8 cavalos (a 8.000 rpm).

Para a crítica da mesma, pareceu que poucas scooters (ou motonetas) são tão fáceis e gostosas de guiar. Inclusive, “há tempos não se via uma “motoquinha” invocar tamanha “cobiça” dos motoristas e também motociclistas, que vinham tirar dúvidas ou arregalar os olhos.” Diz jornalista do Auto Esporte, pertencente ao g1.com. Muito disso se deve ao design dianteiro “ave de rapina”, mas o Neo esconde nichos espaçosos nas laterais do escudo frontal; bem como o tradicional gancho para pendurar sacola ou mochila.

6- XJ6

Criada em 2009 para oferecer uma alternativa menos esportiva e mais acessível a FZ6 . O motor é derivado da FZ6 Fazer, em si mesmo da Yamaha R6, para trazer mais flexibilidade com a potência contida.

Esta moto é, por seu nome, uma reedição do Yamaha XJ600 e suas variantes produzidas entre 1984 e 2002.

Seu novo modelo é equipado com freios a disco, com ABS nas duas rodas, suspensão traseira do tipo Monocross de sete regulagens e banco bipartido com ajuste de altura.

Bastante reconhecida por seu design, robustez, potência e ronco do motor, a Yamaha XJ6N ABS 2019 tem novas cores, que são o Matt Grey (Cinza) e Racing Blue (Azul).

7- Super Tenere 1200

XT 1200Z SUPER TÉNÉRÉ DX é uma moto construída para a aventura. Com 1.200 cc e 112 cv de potência, possui itens de série de última geração: suspensão com regulagem eletrônica, aquecimento de manopla, controle de tração, D-Mode, piloto automático, sistema de freios ABS combinado, acelerador eletrônico YCC-T (Yamaha Chip Controlled Throttle) e painel completo que indica o consumo médio e instantâneo de combustível, temperatura, hodômetro total e dois parciais, indicador de marchas e D-Mode, entre outras funções. Montada em Manaus, essa moto conta também com bagageiro, cavalete central, ajuste de altura do para-brisa e do banco, tomada 12V, suporte para GPS e nova mesa de alumínio.

São tantas mudanças! A Ativa Motos YAMAHA agradece ao Cliente por colaborar com o crescimento dos nossos modelos que foram consagrados por vocês!

Para adquirir este e outros modelos em Joinville e região, entre em contato com um dos nossos vendedores:

Cristiano Klug: (47) 99937-0053

Joyce Jaqueline: (47) 99950-0393

Marcos Quadri: (47) 99937-0039

Ou venha nos fazer uma visita:

Joinville/América – Rua Doutor João Colin, 2359 / (47) 3423-0057